Play Livros, Cardboard, integração e possibilidades educacionais

Direto ao ponto: hoje tratarei aqui do ecossistema (ainda não totalmente unificado) do Google, iniciando o papo com alguns recursos pouco explorados (no entanto, presentes) e terminando nas possibilidades educacionais (reais) do Cardboard. Todos sabemos que trata-se de uma empresa de tecnologia conhecida, principalmente pelos produtos que disponibiliza em troca dos dados do usuário, utilizando-se, … Ler mais

A experiência de leitura da Pelican Books

Em maio de 2014, a Penguin Random House relançou o seu antigo selo Pelican, que em 1987 havia interrompido suas publicações após 47 anos de existência. Tal acontecimento – o surgimento de um novo selo ou coleção – é relativamente corriqueiro no mercado editorial e poderia passar despercebido até mesmo para as pessoas que trabalham … Ler mais

Sobre fontes em e-books

Algumas editoras utilizam fontes embutidas como forma de caracterizar o projeto gráfico de suas edições digitais. Este recurso, apesar de muitos considerarem meramente estético, pode ajudar a acrescentar significado em determinadas narrativas, como distinguir vozes ou narradores, ou até mesmo destacar uma narrativa dentro da narrativa (como um bilhete encontrado pela personagem ou uma carta … Ler mais

O que faz o Lev, da Saraiva, não ser apenas mais um e-reader [atualizado]

Na semana passada, a Livraria Saraiva lançou seu e-reader, o Lev. Estive no lançamento e, como já disse por aí, fiquei muitíssimo supreso, posivitivamente, com o aparelho. Minha análise do Lev, portanto, não é exclusivamente técnica1, embora não dê para fugir disso no texto. Minha ideia, antes, é analisá-lo diante de como ele se insere … Ler mais

Leitura digital

Copyright: nzodebernardo

A defesa do e-book como uma nova publicação, com peculiaridades específicas do formato, apresentando vantagens e desvantagens próprias, é geralmente reforçada pelo argumento de que a leitura digital é uma nova experiência de leitura e deve ser tratada como tal. Mas, afinal, o que há de tão diferente na leitura digital que a faz tão … Ler mais

Nuke – ou: fazer livros não é como fazer sabonetes

WHERE RAGS BECOME PAPER http://www.gutenberg.org/files/28569/28569-h/28569-h.htm

Com o lançamento do novo Nook (Barnes & Noble), é inevitável – ao menos para mim – não pensar, com certo receio, na perda de autonomia que as editoras vêm enfrentando diante do mundo digital. Celebrações e receios à parte, podemos reduzir as perspectivas da área a duas: empresas ligadas à cadeia produtiva do livro … Ler mais