Qual é o valor do e-book?

Eu sei, eu sei, não é a primeira vez que falamos de preço por aqui, mas é difícil não remeter a este assunto quando estamos falando de e-books. Mas agora, por mais que a questão perpasse o problema de precificação, a bola da vez é como o preço pode interferir na percepção de valor do … Ler mais

Sobre ter um bom diagramador (e criar um bom manual também)

Agora o foco sairá de questões exclusivamente editoriais. É necessário falar um pouquinho sobre como a diagramação pode ajudar nesse fluxo entre o editorial e o setor de e-books. Já sabemos que e-books não são feitos com um botão mágico, mas algumas ações no inDesign podem ajudar a tornar o processo mais fluido. A maioria … Ler mais

“O que fazer, então?”, indagou o editor

Ok, acho que já deixei bem claro que o editorial precisa se envolver com o setor de e-books. Agora vamos começar a pensar em como você pode mudar a sua rotina para inserir os livros eletrônicos nela. ATENÇÃO! Este post está sob a perspectiva de uma pessoa que trabalha sobretudo com livros de literatura de … Ler mais

Avaliações de qualidade

Lembro que, no início da minha relação com e-books, eu achava que a conversão de um PDF para ePub era automática, mas, depois de pouco tempo, vendo a quantidade de erros que esse processo gerava, entendi que há uma grande diferença entre produzir um ePub e produzir um e-book. Realmente, a conversão para ePub a … Ler mais

Cosac Naify: Criação e maturação do departamento digital

Em 2009, na editora Zahar, o departamento de e-books foi se formando à medida que as coisas iam acontecendo, o que permitiu, desde o princípio, uma boa integração com os demais departamentos da editora. Na época não existiam ainda ferramentas próprias para edição e manipulação dos arquivos, e a maior dificuldade ficava em torno das … Ler mais

Pequena história do Departamento Digital da Companhia das Letras

Quando entrei na Companhia das Letras, em junho de 2011, o mercado de e-books no Brasil ainda engatinhava. Os principais players eram Saraiva, Cultura e Gato Sabido (ainda não havia nem sombra de Amazon, Apple, Kobo e Google neste mercado); os e-readers vendidos por aqui eram caríssimos e pouco práticos; havia poucos títulos disponíveis em … Ler mais

Uma aprendizagem ou O livro digital na Rocco

O investimento em e-books no Brasil teve inicio por volta de 2009 e 2010, quando algumas editoras começaram a converter seu catálogo para o formato digital. No entanto, tal investimento era ainda tímido e se concentrava apenas na etapa de produção. Foi apenas no segundo semestre de 2012, com o ingresso das gigantes Amazon, Apple, … Ler mais