faq

faq 1 – perguntas frequentes

O que são e-books?
Abreviação de electronic book, ou seja, livro digital. Trata-se de uma publicação em formato eletrônico composta por textos, imagens e/ou outras mídias. O e-book é, em muitos casos, associado a uma versão digital de um livro impresso; porém, essa concepção de livros digitais não contempla o e-book como uma nova edição com características e peculiaridades próprias.

Onde os e-books podem ser lidos?
Os livros digitais podem ser lidos em qualquer computador, tablet, smartphone ou e-reader.

O software mais utilizado para leitura em computadores é o Adobe Digital Editions cujo download é gratuito. As principais lojas no mercado possuem aplicativos para desktop, tablet e smartphones. Existem também alguns aplicativos que não estão vinculados a nenhuma loja. Alguns exemplos destes são Aldiko, Moon+Reader e Bluefire.

Existem duas marcas de e-readers no mercado brasileiro: Kindle e Kobo.

Quais são os benefícios dos e-books?
– Em sua maioria, e-books são mais baratos do que suas versões impressas.
– Os e-books podem ser comprados onde quer que você esteja. Basta ter à sua disposição uma conexão à internet e um dispositivo eletrônico apropriado, tal como seu celular, computador ou tablet.
– Além de não haver custos adicionais para entrega, o conteúdo é disponibilizado quase que instantaneamente após a compra.
– É possível pesquisar trechos ou palavras do conteúdo integral de um e-book facilmente, bem como acessar rapidamente os trechos grifados e fazer anotações ao longo da leitura.
– Leitores de e-books são leves e comportam centenas de livros e revistas.
– A maior parte dos softwares de leitura possibilita diferentes formas de organização de biblioteca: por nome de autor, título, leituras recentes ou através da criação de categorias (prateleiras).
– Alguns aplicativos mostram estáticas de leitura, como quais e quantos livros de sua biblioteca já foram lidos e andamento de leitura atual (medido em “páginas”, porcentagem ou horas).
– É possível acessar dicionários de diversas línguas e temas com facilidade.

Quais são as desvantagens dos e-books?
– O custo de e-readers e tablets ainda é muito alto no Brasil.
– A bateria dos notebooks, e-readers, tablets e smartphones têm diferentes durabilidades, mas todas acabam em algum momento. Se isso acontecer durante a sua leitura, ela terá de ser interrompida até que o aparelho seja recarregado.
– Ainda não existe solução definitiva para empréstimos de e-books.
– Livros podem durar séculos, enquanto aparelhos eletrônicos possuem uma vida útil de poucos anos.

O que é DRM?
O DRM controla o acesso a determinado conteúdo, garantindo que apenas o comprador de certo produto possa ter acesso à cópia adquirida.

No caso dos e-books, há diversos tipos de DRM, incompatíveis entre si. A Amazon tem um DRM próprio, que permite que os livros comprados na Kindle Store sejam lidos apenas em aparelhos ou aplicativos da própria Amazon; a Apple também desenvolveu seu próprio DRM, fazendo com que os e-books comprados na iBookstore só possam ser lidos no aplicativo iBooks (disponível para iPad, iPhone e Mac). Na Kobo e na Google, o usuário pode optar pelo DRM proprietário de cada uma, ou pelo da Adobe; as demais livrarias brasileiras usam o DRM da Adobe.

Além da incompatibilidade entre diversas livrarias, o DRM também limita o uso que se pode fazer do livro digital, como o número de aparelhos em que ele pode ser acessado e a possibilidade de emprestá-lo para outros usuários.

Quais são os formatos dos e-books?
Diferentes softwares e aparelhos de leitura aceitam diferentes formatos de e-books, gerando uma certa confusão em torno dos livros eletrônicos. Os formatos mais populares são o epub (standart), o mobi e o pdf. Para saber mais sobre tais formatos, clique aqui.

 

faq 2 – escutamos com frequência

Você trabalha com e-book? Que legal! Mas deve dar um trabalhão digitar o texto todo!
O e-book se distingue de um livro impresso por ser uma publicação digital ao invés de física, e acreditamos que, por isso, exista essa confusão a respeito de como o livro é feito. Mas essa distância entre livro físico e digital é menor do que aparenta. Hoje em dia, grande parte do processo de produção gráfica se dá através de rotinas digitais, com auxílio de programas como Word, InDesing, Photoshop, Illustrator etc.

Como os processos de preparação de original, diagramação e fechamento de arquivo são feitos em meios digitais, não é necessário digitar o livro para criar um e-book; basta partir de um destes arquivos em formato eletrônico para a produção do formato próprio para a publicação digital.

Como é a produção do arquivo ePub? Existe um botão de “salvar como”?
Da mesma forma que o InDesing exporta um PDF, é possível também exportar um ePub através deste e de outros programas. Mas a exportação não resulta num arquivo pronto para a publicação digital. É necessário trabalhar este arquivo exportado para adequá-lo às especificações das livrarias e do próprio formato. Essa exportação não dá o produto final, e sim o material base para o início da produção.

Não tem como o e-book ficar igual ao impresso, não?
De modo geral, a rotina de produção de e-books nas editoras se dá após uma rotina de fechamento do miolo para a impressão, e as equipes reponsáveis pelo projeto gráfico digital se baseiam no projeto do impresso para pensar no digital. No entanto, em muitos casos, tais projetos não são funcionais no digital, e é necessário adaptá-los. É importante ter sempre como prioridade uma boa experiência de leitura. O apego excessivo ao projeto do impresso pode prejudicar o funcionamento da publicação digital e frustrar o leitor.

Por que os e-books no Brasil são tão caros?
Primeiramente, os e-books no Brasil são caros porque os impressos no Brasil também o são, e as editoras, de maneira geral, precificam seus e-books por um percentual em relação ao preço do impresso. Em muitos casos, esse percentual é definido por contrato de cessão de direitos, não possibilitando que a editora possa vender abaixo de determinada porcentagem.