FontForge – Manipulação de fontes

Baixe como e-book

Vira e mexe eu menciono o FontForge em postagens sobre produção. Bem, deixem-me apresentá-lo formalmente: o FontForge é um programa multiplataforma (Linux, Mac e Windows) e de código livre que serve para manipular, editar e corrigir arquivos de fontes.
Pois bem, uma das coisas mais frustrantes para mim sempre foi, num fim de prazo, ao fazer o cotejo da versão “final” de um e-book, perceber que alguns caracteres desapareceram ou estão sendo exibidos de maneira incorreta.

Cara, cadê meus acentos?
Cara, cadê meus acentos?

Ou, durante a produção, quando precisamos de uma variação daquela fonte e ninguém tem o arquivo (às vezes ele nem existe na família da fonte) — um bold-italic ou uma versão outline, por exemplo.

Eu poderia descrever como funciona o processo de correção ou de edição de uma fonte para os dois exemplos, mas acho que a coisa fica mais simples em vídeos, então, vamos lá.
Criando uma italic bold a partir de uma itálica*

Criando uma versão outline da fonte

Espero que seja útil para vocês. No caso de fontes com problema de acentuação etc., entrem em contato pelos comentários que, dependendo do for, faço um vídeo consertando o seu arquivo.


*Usei a itálica como base porque os caracteres geralmente mudam em relação à regular.

escrito por Antonio Hermida

Antonio Hermida

Antonio Hermida cursou Análise de Sistemas (UNESA), Letras – Português-Latim (UFF) e Letras – Português-Literaturas (UFF). Começou a trabalhar com e-books em 2009, na editora Zahar e, em 2011, passou a atuar como Gerente de Produção para Livros Digitais na Simplíssimo Livros, onde também ministrava cursos (Produzindo E-Books com Software Livre) e prestava consultorias para criação de departamentos digitais em editoras e agências.
Coordenou o departamento de Mídias Digitais da editora Cosac Naify sendo também colunista do blog da editora.
Atualmente presta serviços e consultoria para diversas editoras.

Entre outras coisas, é entusiasta da cultura Open Source e tem Kurt Vonnegut como guru.

Deixe um comentário